cura

Category: Heidegger em português
Submitter: Murilo Cardoso de Castro

cura

Heidegger usa três palavras cognatas: 1. Sorge, "cura (cuidado)", é "propriamente a ansiedade, a preocupação que nasce de apreensões que concernem ao futuro e referem-se tanto à causa externa quanto ao estado interno" (DGS, 56). O verbo sorgen é "cuidar" em dois sentidos: (a) sich sorgen um é "preocupar-se, estar preocupado com" algo; (b) sorgen für é "tomar conta de, cuidar de, fornecer (algo para)" alguém ou algo. 2. Besorgen possui três sentidos principais: (a) "obter, adquirir, prover" algo para si mesmo ou para outra pessoa; (b) "tratar de, cuidar de, tomar conta de" algo; (c) especialmente com o particípio passado, besorgt, "estar ansioso, perturbado, preocupado" com algo. O infinitivo substantivado é das Besorgen, "ocupação" no sentido de "ocupar-se de ou com" algo. 3. Fürsorge, "preocupação", é "cuidar ativamente de algúem que precisa de ajuda", portanto: (a) o " bem-estar" organizado pelo estado ou por corporações de caridade (cf. SZ, 121); (b) "cuidado, preocupação".

Estes três conceitos permitem a Heidegger distinguir sua visão daquela que considera nossa atitude para com o mundo como primariamente cognitiva e teórica. "A cura (cuidado) com o conhecimento conhecido" (Sorge um erkannte Erkenntnis) de Descartes e de Husserl é apenas um tipo de cura, e não o tipo primário, que por si mesmo tenha um apelo evidente (GA17, 62; GA63, 106). Mas Sorge não é especificamente prático: é mais profundo do que o contraste usual entre teoria e prática (SZ, 193). Os conceitos são distintos no sentido de que Sorge pertence ao próprio Dasein, besorgen às suas atividades no mundo, e Fürsorge ao seu ser-com-outros: "O modo de ser básico de Dasein é que em seu ser está em jogo seu próprio ser. Este modo básico de ser é concebido como cuidado [Sorge], e, como modo básico de ser de Dasein, este cuidado é não menos originalmente ocupação [Besorgen] e isto se Dasein é essencialmente ser-no-mundo. Da mesma forma, este modo básico de ser de Dasein é preocupação [Fürsorge], na medida em que Dasein é ser-um-com-o-outro" (GA21, 225). A cura (cuidado) é membro dominante dessa tríade, embora inseparável dos demais: "Ocupação e preocupação são constitutivas da cura, de tal forma que quando usamos simplesmente o termo ‘cura’ sempre nos referimos a ele, e nas nossas explicações concretas o compreendemos, como cura ocupada-preocupada [besorgend-fürsorgende Sorge], onde com cura queremos dizer, em um sentido enfático, que, nesta ocupação e preocupação como cura, o próprio ser que cuida [das sorgende Sein] está em questão" (GA21, 225s).

Os conceitos são "conceitos estruturais", que apresentam os existenciais de Dasein, e devem portanto ser compreendidos em um sentido amplo. Dasein é frequentemente desleixado e despreocupado, desatento para com os outros, e descuidado, negligente e indiferente. Mas mesmo assim, Dasein possui Besorgen, Fürsorge e Sorge mesmo que em um "modo deficiente" (SZ, 57): "Se eu negligencio algo, eu faço, não coisa nenhuma, mas alguma coisa, só que no modo do não. [...] Apenas onde há cura há negligência" (GA21, 225). (Esta é uma medida comum em filosofia, não apenas em Heidegger: normalmente enxergamos algumas coisas como não possuindo relação alguma, mas para o lógico duas coisas quaisquer estão sempre relacionadas de um modo ou de outro; até a falta de relação é um tipo de relação.) [DH]



Não haverá nesse apelo (Anspruch) ao homem, não haverá na tentativa de preparar o homem para tal apelo, um esforço pelo homem? Para onde se dirige "a Cura" (Sorge) senão no sentido de reconduzir o homem de volta à sua Essência. [CartaH]

Submitted on:  Mon, 12-Mar-2012, 18:11