conceitos

Category: Heidegger em português
Submitter: Murilo Cardoso de Castro

conceitos

P — Vocês precisam de conceitos?

J — Provavelmente sim. O encontro com o pensamento europeu revelou uma incapacidade de nossa língua.

P — Como assim?

J — Falta a força das definições para representar objetos num encadeamento preciso de uns com os outros, dentro de um sistema recíproco de subordinação.

P — O senhor considera mesmo essa incapacidade uma deficiência de sua língua?

J — No encontro inevitável do mundo oriental com o mundo europeu, essa pergunta exige, certamente, uma reflexão profunda.

P — O senhor toca numa questão controvertida que discuti, muitas vezes, com o conde Kuki: será mesmo necessário e legítimo que os orientais procurem os sistemas de conceitos dos europeus?

J — Diante da tecnicização e industrialização modernas de todos os recantos da terra, parece que não há outra saída.

P — O senhor fala com cautela e diz — "parece que..."

J — De fato. Pois sempre resta a possibilidade de que, olhando do lugar e do modo de ser oriental, o mundo técnico que nos arrasta se restrinja à superfície e... que...

P — nessas condições, não se dê propriamente um encontro com o lugar e modo de ser europeu, apesar de todas as tentativas de mistura e equiparação.

J — Talvez até nem possa acontecer.

P — Será que devemos afirmar isso assim tão incondicionalmente?

J — Eu seria o último a fazê-lo, pois do contrário não teria vindo para a Alemanha. Mas sempre sinto o perigo que, evidentemente, o conde Kuki também não pôde controlar.

P — A que perigo o senhor se refere?

J — Ao perigo da riqueza dos conceitos proporcionada pelo espírito das línguas europeias, trata-se do perigo de se reduzir o que ocupa nosso lugar e modo de ser a algo indeterminado e escorregadio. [GA12]

Submitted on:  Sun, 22-Aug-2010, 20:41