Login
Username:

Password:

Remember me



Lost Password?

Register now!
Main Menu
Search
Who is Online
7 user(s) are online (7 user(s) are browsing Léxico Filosofia)

Members: 0
Guests: 7

more...
Home Léxico Filosofia D determinação Léxico Filosofia
Browse by letter
All | A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | Other

determinação

Definition:
(gr. prosthesis; lat. determinatio; in. Determination; fr. Determination; al. Bestimmung ou Bestimmtheit; it. Determinazione).

Limitação da extensão de uma noção com o enriquecimento da sua in-tensão, ou o resutado dessa limitação. Aristóteles já usava esse termo para indicar o novo acréscimo de notas ou características ao objeto considerado. "Falando de determinação, refiro-me, p. ex., à passagem da unidade, que é substância desprovida de posição, ao ponto que é substância dotada de posição: essa passagem deriva de uma determinação" (An. post., I, 27, 87 a 34 ss.). Essa palavra foi entendida do mesmo modo na lógica medieval. Pedro Hispano diz que "a determinação restringe o conceito daquilo a que se une, assim como a palavra ‘morto’ restringe o conceito de homem quando se diz ‘homem morto’" (Summ. log., 7.46). Wolff demorou-se nessa noção, entendendo por determinado "aquilo sobre o que se deve afirmar alguma coisa" (Ont., § 112) e por indeterminado "aquilo sobre o que ainda não se pode afirmar alguma coisa, embora não se possa tampouco afirmar que alguma coisa se lhe oponha" (Ibid., § 105). Além disso, ligava essa noção à noção de razão suficiente, que o próprio Leibniz chamara, nesse sentido, de razão determinante (Ibid., § 117).

Spinoza expressou uma implicação importante dessa noção quando disse " Omnis deter-minatio est negatio" (Epist., 59), entendendo que qualquer acréscimo de uma nova nota a um conceito faz que esse conceito seja negado em alguns dos objetos que antes podiam ser seus predicados. Nessa vínculação da determinação com a negação, Hegel insistiu em sua doutrina da dialética. Para ele, porém, a determinação ocorre por desenvolvimento interno e autônomo do conceito, e não por acréscimos. Diz Hegel: "Determina-se o universal e, assim, ele é o particular. A determinação é sua diferença. Assim, ele é a totalidade e o princípio de sua diversidade, que é determinada somente por ele mesmo" (Wissenschaft der Logik, III, 1, 1, B). Na linguagem filosófica contemporânea essa palavra é usada predominantemente no sentido tradicional, como delimitação do significado. Peirce distingue assim determinação de definição: "Um sujeito é determinado em relação a cada caráter inerente a ele ou que é (universal e afirmativamente) predicado dele, e é determinado também em relação aos negativos desses caracteres, no mesmo aspecto. Em todos os outros aspectos, o sujeito é indeterminado. O definido deve estar realmente definido" (Issues of Pragmaticism, 1905, em Values in a Universe of Chance, p. 210). Por outro lado, o uso desse termo em Carnap refere-se ao valor de verdade dos enunciados: "Um enunciado é logicamente determinado se o seu valor de verdade, que é sua extensão, é determinado por regras semânticas" (Meaning and Necessity, § 2); isso significa que um enunciado é logicamente determinado se é analítico ou tautológico, e nesse caso sua verdade independe dos fatos; mas é logicamente indeterminado se é sintético e se, portanto, sua verdade depende dos fatos. [Abbagnano]

Submitted on 03.03.2010 21:06
This entry has been seen individually 1352 times.

Bookmark to Fark  Bookmark to Reddit  Bookmark to Blinklist  Bookmark to Technorati  Bookmark to Newsvine  Bookmark to Mister Wong  Bookmark to del.icio.us  Bookmark to Digg  Bookmark to Google  Share with friends at Facebook  Twitter  Bookmark to Linkarena  Bookmark to Oneview  Bookmark to Stumbleupon Bookmark to StudiVZ



Powered by XOOPS © 2001-2012 The XOOPS Project