Login
Username:

Password:

Remember me



Lost Password?

Register now!
Main Menu
Search
Who is Online
11 user(s) are online (11 user(s) are browsing Léxico Filosofia)

Members: 0
Guests: 11

more...
Home Léxico Filosofia O objeto Léxico Filosofia
Browse by letter
All | A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | Other

objeto

Definition:
Gegenstand
objet

A palavra alemã "Gegen-stand" "ob-jeto", surgiu apenas no século XVIII e como tradução do latim "ob-iectum". 0 fato de Goethe sentir um peso especial nas palavras "Gegenstand", objeto, e "Gegenständlichkeit”, objetividade, tem razões mais profundas. Entretanto, nem o pensamento medieval, nem o pensamento grego re-presentam o vigente, como ob-jeto. Chamamos aqui de objetidade o modo de vigência do real que, na Idade Moderna, aparece, como objeto. [GA7 44]


Ao objeto pertence tanto o teor de consistência (o quid) do que se contrapõe (essentia-possibilitas) como a posição do que se opõe (existentia). O objeto constitui a unidade de persistência (Ständigkeit) dessa consistência . Em sua insistência (Stand), a consistência (Bestand) refere-se essencialmente ao pôr (Stellen) da re-presentação (Vor-stellen) como uma posse asseguradora que põe algo diante de si, que pro-põe. O objeto originário é a objetividade em si mesma. A objetividade originária é o "eu penso", no sentido do "eu percebo", que já se apresenta (sich vor-legt) e já se apresentou, é subietum. Na ordem da gênese transcendental do objeto, o sujeito é o primeiro objeto da re-presentação ontológica.

O ego cogito é cogito: me cogitare. [GA7]


Como a objetividade adquire o caráter de constituir a essência dos entes como tais?

Costuma-se pensar "ser" como a objetividade, num esforço de se apreender a partir daí o "ente em si" e assim esquecer de se perguntar e dizer o que se entende por "ente" e pelo "em si".

O que "é" ser? Devemos perguntar ao "ser" o que ele é? Ser fica fora de questão, auto-evidente e, portanto, impensado. Mantém-se numa verdade, de há muito esquecida e infundamentada. [GA7]


O que foi posto na posição é o posto de um dado, que por sua vez, através do pôr e do colocar, se transforma, para este ato, em o-posto, ob-stante, jogado-ao-encontro, objeto. O que tem caráter de ser posto (posição), quer dizer, o ser, se transforma em objetividade. Mesmo quando Kant, na Crítica da Razão Pura, ainda fala de coisa, como, por exemplo, na enunciação afirmativa de sua tese sobre o ser, a "coisa" sempre significa: ob-stante, ob-jeto, no sentido mais amplo de algo que é representado, do X. Em conformidade com isto, diz Kant, no prefácio da segunda edição da Crítica da Razão Pura (B XXVII), que a critica "nos ensina a tomar o objeto em dois sentidos, a saber, como fenômeno, ou como coisa em si mesma". A TESE DE KANT SOBRE O SER

Submitted on 18.10.2010 13:40
This entry has been seen individually 685 times.

Bookmark to Fark  Bookmark to Reddit  Bookmark to Blinklist  Bookmark to Technorati  Bookmark to Newsvine  Bookmark to Mister Wong  Bookmark to del.icio.us  Bookmark to Digg  Bookmark to Google  Share with friends at Facebook  Twitter  Bookmark to Linkarena  Bookmark to Oneview  Bookmark to Stumbleupon Bookmark to StudiVZ



Powered by XOOPS © 2001-2012 The XOOPS Project