Login
Username:

Password:

Remember me



Lost Password?

Register now!
Main Menu
Search
Who is Online
1 user(s) are online (1 user(s) are browsing Léxico Filosofia)

Members: 0
Guests: 1

more...
Home Léxico Filosofia N normal Léxico Filosofia
Browse by letter
All | A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | Other

normal

Definition:
(in. Normal; fr. Normal; al. Normal; it. Normale).

1. Aquilo que está em conformidade com a norma.

2. Aquilo que está em conformidade com um hábito, com um costume, com uma média aproximada ou matemática, ou com o equilíbrio físico ou psíquico. Neste sentido, diz-se, p. ex., "levar vida normal", para dizer uma vida segundo os costumes de certo grupo social, ou "tem peso normal" ou " altura normal", para dizer que tem peso ou altura correspondentes à média dos indivíduos da mesma idade, raça, etc, ou " mente normal", "um organismo normal", para indicar a boa saúde mental ou física. Este uso do termo não é completamente impróprio porque, embora as normas às quais se refere sejam obtidas de generalizações empíricas, são empregadas como critério de juízo e estabelecem uma "normalidade". [Abbagnano]


(do lat. norma, esquadria formada por duas peças perpendiculares).

conforme a regra. — A noção de "indivíduo normal" tem geralmente um sentido social. É o indivíduo cujo tamanho e tipo correspondem às estatísticas de seu país (um norte-americano de tamanho normal será anormalmente grande na Itália), cujo espírito reflete, além disso, todos os preconceitos sociais e os hábitos psicológicos de seu grupo. Nesse sentido, a educação anglo-saxônica preocupa-se mais em educar socialmente os indivíduos para fazer deles "bons ingleses" ou bons "norte-americanos", indivíduos, em suma, socialmente "normais", do que em ensinar conhecimentos. Essa investigação sobre o indivíduo normal, no sentido do "tipo médio exposto pelo recenseamento estatístico", opõe-se ao tipo normal no sentido ideal, de norma, de protótipo, de forma perfeita: "a ordem normal das coisas requer a paz entre as sociedades; a justiça entre os cidadãos". A noção de "normal" é, assim, fundamentalmente ambígua: oscila entre o conceito estatístico de "tipo médio" e o conceito normativo de "tipo ideal"; na medicina, por exemplo, o homem "normal" é o indivíduo perfeitamente são; esse indivíduo, entretanto, não existe, de um ponto de vista rigoroso, e "normalmente" todos os indivíduos encontram dificuldades biológicas de adaptação no decurso de sua vida. (V. O conhecimento da vida, de M. Ganguilhem.) (V. patológico.) [Larousse]


O que é conforme à norma. "Anormal" não deve ser confundido com "anormal" (a privativo e nomos, lei), apesar de uma parcial congruência do sentido.

Normal, portanto, no sentido próprio, é tudo o que é conforme à sua própria ideia do bem, ficando assim "normal" sinônimo de bom, justo e direito. Como a norma não é sempre uma regra abstrata, normal também pode significar a conformidade de um indivíduo com a ideia da sua espécie, que representa para ele a norma e o ideal ao qual aspira, não obstante tratar-se aqui de uma norma, que só empiricamente pode ser conhecida, cujo valor a priori só é presuntivo. Daí logicamente deduz-se o amplo emprego que se faz do termo na língua médica e, geralmente, na descrição de fenômenos patológicos. Contudo aqui se acha a raiz de um uso muito impróprio e superficial da palavra e que, particularmente, se afasta da acepção filosófica do termo. Pois normal, agora, se considera tudo o que é observado com uma mais ou menos pronunciada regularidade, originalmente partindo da representação ingênua, para em vista dessa regularidade, poder-se estabelecer um traço específico, mas ultimamente até sem essa justificativa. De maneira que um fato, encontrado com frequência, já por isso é chamado normal, ainda que seja patológico ou por qualquer outra razão perfeitamente anormal. Assim se fala de um certo número normal de suicídios, ou se diz normal que para aumentar a produção, os industriais tratem por todos os meios de incrementar o consumo. Entre esses extremos de normal = justo e normal = habitual ou costumeiro, ainda há uma série de acepções semantologicamente intermediárias. Com aplicação à sociologia, Durkheim estabelece: "Um fato social é normal para um determinado tipo social, considerado sob uma fase determinada e seus desenvolvimentos, quando ele se produz na média das sociedades dessa espécie, consideradas em fase análoga de evolução". Aqui se mostra o valor a priori do normal, justificado como tal, pelo caráter específico que se tornou tão fraco que é preciso recorrer a um valor emprestado da "média" para poder proclamar um fato como normal.

Também a média, em sua acepção puramente quantitativa, pode motivar a atribuição do caráter normal de alguma coisa. Neste sentido fala-se, por exemplo, da temperatura normal, que é a média observada a uma mesma data durante anos de experiência. Na vida econômica fala-se da "ação normal" de um certo grupo industrial, o que significa a ação ou o procedimento que se deve esperar desse grupo sob determinadas condições. [MFSDIC]

Submitted on 19.10.2010 12:34
This entry has been seen individually 805 times.

Bookmark to Fark  Bookmark to Reddit  Bookmark to Blinklist  Bookmark to Technorati  Bookmark to Newsvine  Bookmark to Mister Wong  Bookmark to del.icio.us  Bookmark to Digg  Bookmark to Google  Share with friends at Facebook  Twitter  Bookmark to Linkarena  Bookmark to Oneview  Bookmark to Stumbleupon Bookmark to StudiVZ



Powered by XOOPS © 2001-2012 The XOOPS Project