Login
Username:

Password:

Remember me



Lost Password?

Register now!
Main Menu
Search
Who is Online
4 user(s) are online (4 user(s) are browsing Léxico Filosofia)

Members: 0
Guests: 4

more...
Home Léxico Filosofia H Heidegger Léxico Filosofia
Browse by letter
All | A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | Other

Heidegger

Definition:
filosofia" rel="external" title="">Heidegger e suas referências


HEIDEGGER (Martin), filósofo alemão (Messkirch, Bade, 1889). Aluno de Husserl, defende em 1916 sua tese sobre a Doutrina das categorias em Duns Scot. Professor em Marburg, publica O ser e o tempo (Sein und Zeit) em 1927. A considerável influência dessa obra (da qual Sartre retirou quase todas as suas análises em O ser e o nada, e Carnus a sua noção de "absurdo" da existência) provém de suas análises existenciais do homem em situação. Entretanto, os mais recentes textos do filósofo têm confirmado a Introdução de Sein und Zeit, segundo a qual não é a questão do homem e sim a questão do ser, que é, para Heidegger, o centro de sua reflexão (Da essência da verdade e Carta sobre o humanismo, 1947). Esta inclina-se no sentido de uma análise da linguagem poética (Satz vom Grund, 1957; Die Sprache) como único local da revelação do ser. Pensador mais inspirado que rigoroso, profeta de nossa época "decadente" e da era atômica, Heidegger exerce atualmente profunda atração sobre todos os espíritos. [Larousse]


Martin Heidegger nasceu em 1889 em Messkirch, na Floresta Negra, na Alemanha, filho de um toneleiro e sacristão, de família há muito residente na região. No Ginásio de Freiburg, em 1907, lê a tese de Franz Brentano, Sobre as múltiplas significações do Ente em Aristóteles, onde vai pela primeira vez encontrar uma referência ao problema que tanto discutirá depois — a questão do Sentido do Ser. Através de Brentano chega a Husserl e à fenomenologia. Suas investigações começam em 1914 com a dissertação A Doutrina do Julgamento no Psicologismo, e prosseguem em 1916 com A Doutrina das Categorias e da Significação em Duns-Scotus. Nos dez anos que se seguem, possivelmente guiado por estudos de teologia (a respeito de que dará cursos, como o Introdução à Fenomenologia da Religião, de 1921 em Friburgo), tenta fundar a questão do Ser numa analítica existencial (isto é, numa descrição rigorosa e elucidadora) da facticidade e da finitude humanas. O resultado desta interrogação será a publicação, em 1927, de Sein und Zeit (Ser e Tempo), primeira parte de um tratado que deveria discutir a questão do Ser na Filosofia ocidental a partir da analítica da existência humana. Em 1933 adere ao partido nazista, pouco depois de ser eleito reitor da Universidade de Friburgo mas em 1934 se desilude com Hitler, abandonando a reitoria e o nazismo, e sendo pouco a pouco marginalizado pelos órgãos oficiais de educação da Alemanha. Por está época muda o método de ataque à questão do Ser, tentando aprofundá-la agora através de uma consideração a respeito do desenvolvi-se do pensamento ocidental, desde os primeiros pré-socráticos até Nietzsche, em quem vê o último pensador da metafísica ocidental. Publica, então, trabalhos como Sobre a Essência da Verdade (1943), A Doutrina de Platão sobre a Verdade — Com uma Carta sobre o Humanismo (1947), Caminhos no Bosque (1950), Introdução à Metafísica (1953), Que significa Pensar? (1954), O Princípio da Razão- (1957), No Caminho da Linguagem (1959), Nietzsche (1961), A Técnica e o Retorno (1962), Marcos no Caminho (1967), Sobre a Questão do Pensamento (1969), Heráclito (com Eugen Fink, 1970). O pensamento de Heidegger nos oferece duas grandes linhas originais. A primeira linha, cuja maior expressão está em Ser e Tempo, tenta encontrar a questão do Ser (e sua importância para o pensamento ocidental, na metafísica e na lógica) a partir de uma analítica do Dasein. Uma analítica pretende mostrar, fazer aparecer, os constituintes originários de nossa experiência. O nome Dasein resume a natureza destes constituintes: o Dasein somos nós, somos o Ser (Sein) que existe sempre centrado num Aí (Da) perfeitamente determinado, e cuja finitude surgirá deste posicionamento originário. Ser e Tempo teve grande influência (mas que Heidegger considerou como sendo "um mal-entendido") nos existencialismos sartreanos, na teologia de Bultmann e na psicanálise existencial de Binswanger.

A segunda linha do pensamento de Heidegger volta-se para a história da metafísica ocidental, vista como um fenômeno único dentro da história mundial. Esta metafísica começou com os pré-socráticos, sete séculos antes de Cristo, desenvolveu-se pela Idade Média e se extinguiu em Nietzsche, não sem antes ter gerado a técnica e a ciência contemporâneas. O que marca a afirmação da metafísica (e o esquecimento da questão do Ser, em cuja formulação, há três mil anos, Heidegger vê a origem do Ocidente como movimento cultural) é transformação da "verdade" dos pré-socráticos, a aletheia na veritas. A aletheia significa o não-ocultamento e o não-esquecimento (Léthe era o rio de cujas águas quem bebia perdia a memória); indica também a possibilidade de um destino, de uma passagem do escuro, do oculto, ao claro, ao desvelado. A veritas, ao contrário, é um mero ajuste entre dois entes, a concordância entre a palavra e certo estado de coisas. Na veritas perdeu-se a destinação, o sentido em movimento que havia na aletheia.

Heidegger tenta nos oferecer uma visão una da história do ocidente, e sobretudo procura enquadrar, nesta visão, a tecnologia e a ciência contemporâneas, oferecendo-lhes, como perspectiva, todo o fundo da cultura ocidental, e desmistificando-lhes o "fantástico" e o "assombroso". Por tornar assim finito o problema da tecnologia contemporânea, a visão de Heidegger é bem mais potente que as outras críticas da modernidade feitas por Theodor W. Adorno, Max Horkheimer, Herbert Marcuse, Georg Lukács (no seu livro História e Consciência de Classe), e como que ilumina muitas das imprecisões e dos exageros de Oswald Spengler em sua obra A Decadência do Ocidente. (Francisco Doria - DCC).

Submitted on 25.06.2009 20:47
This entry has been seen individually 1705 times.

Bookmark to Fark  Bookmark to Reddit  Bookmark to Blinklist  Bookmark to Technorati  Bookmark to Newsvine  Bookmark to Mister Wong  Bookmark to del.icio.us  Bookmark to Digg  Bookmark to Google  Share with friends at Facebook  Twitter  Bookmark to Linkarena  Bookmark to Oneview  Bookmark to Stumbleupon Bookmark to StudiVZ



Powered by XOOPS © 2001-2012 The XOOPS Project