Login
Username:

Password:

Remember me



Lost Password?

Register now!
Main Menu
Search
Who is Online
5 user(s) are online (5 user(s) are browsing Léxico Filosofia)

Members: 0
Guests: 5

more...
Home Léxico Filosofia M Mitsein Léxico Filosofia
Browse by letter
All | A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | Other

Mitsein

Definition:
ser-com [STSchuback]
être-avec [ETEM]
being-with [BTJS]
estar-con, coestar [STRivera]

Nota da Tradutora: O ser é sua dinâmica de exercício e por isso sempre difusivo de si mesmo. Em consequência, todas as realizações em modos de ser trazem inscritas na sua constituição essa dinâmica difusiva do ser. A pre-sença é o lugar em que aparece esta imbricação. Por isso, todas as suas concretizações na existência exercem uma ação expressa pela preposição com (mit). Assim, nunca se dá um ser ou modo de ser isolado. Todo ser é sempre ser-com mesmo na solidão e isolamento, a pre-sença é sempre co-pre-sença (Mitdasein), o mundo é sempre mundo compartilhado (Mitwelt), o viver é sempre convivência (Miteinandersein). Até mesmo o ser simplesmente dado, desprovido do caráter de pre-sença, embora não sendo centro difusivo de relações, só se dá como ponto de referência de relações da pre-sença. A tradução exprimiu essa mínima referência do ser simplesmente dado ao ser-com pela expressão ser simplesmente dado em conjunto. [STSchuback 318]


NT: Mitsein : être-avec. — V. §§ 25 sq. H. construit souvent l’expression avec une deuxième préposition mit, d’où la répétition : être-avec avec... [ETEM]


NT: Being-with (Mitsein), 41, 113-130 (I.IV, esp. §§26, 27), 131, 142, 146, 161-164, 181, 193, 237-238, 250, 263-264, 270-272, 280-283, 288, 298, 384, 386, 406, 410 [BTJS]


Mitsein, Mitdasein (with-being, co-Dasein) — Presaged by the introduction of Miteinandersein (being-with-one-another) in November 1924, both terms are first introduced in SS 1925 [GA20] to articulate the initial encounter of the Other in her having to do with the world, her functioning in the world along with me. In this reciprocity of mutual comporting, accordingly, Others “are there with” (mit da sein) me, I “am with” (sein mit) Others. The terms are introduced to correct a confusion contained in the the notion of a “with-world”: “For the world itself is never there mth, but instead is that in which Dasein as concern is in every case” (GA20: 333f./242). [KisielBT]


Heidegger distingue nossas relações com as pessoas das nossas relações com as coisas pela utilização de diferentes preposições: Dasein é mit, "com", os outros, mas bei, "junto a" as coisas. Originalmente, bei significava " próximo, perto". Ela pode corresponder a várias preposições em português: "Isto fica perto da estação", "Ele está em casa", "Ela foi ao médico", "Ele trabalhava na ferrovia". Ele utiliza um substantivo verbal composto, (das) Mitsein, para "ser-com" outros. Mas ele não utiliza Beisein para "ser junto às" coisas, mas Sein-bei (SZ, 192) ou Sein bei (SZ, 131), talvez porque beisein já possua um significado bastante restrito para o seu propósito, a "presença" ("em sua presença"). Sein bei, Mitsein e Selbstsein ("ser-si-mesmo") são três constituintes coordenados do ser-no-mundo, que correspondem ao Umwelt, o "mundo circundante", ao Mitwelt, o "mundo-com, as pessoas à nossa volta, convivência" (SZ, 118) e ao anterior Sebstwelt, (p.ex. GA63, 102). Heidegger também usa Mitdasein, "Dasein-com", para o ser ou Dasein dos outros mas, normalmente, não para os outros eles mesmos, e Miteinandersein, " ser-um-com-o-outro" (SZ, 118s). [DH:166]


Mitsein (das): «estar-con», «coestar». El existenciario Mitsein indica la relación que el Dasein mantiene constitutivamente con los otros en cuanto estar-en-el-mundo y es la respuesta que se da a la pregunta por el quién del Dasein. Heidegger rechaza tajantemente las nociones tradicionales de «yo», «sujeto», «conciencia» entendidas como regiones cerradas y autónomas que permanecen idénticas a través del cambio de comportamientos y vivencias. Asimismo, rechaza la idea de que el acceso al Dasein pase por la introspección. Por el contrario, «jamás está dado un mero sujeto sin mundo», ni se da «un yo aislado sin los otros» (SZ, p. 116). La estructura ontológica del Mitsein indica esa mutua reciprocidad entre el Dasein y los otros. Y esos otros que comparecen cooriginariamente en el mundo circundante no son objetos de la ocupación (Besorgen) como los útiles (Zeug), sino individuos por los que se preocupa el Dasein en la modalidad de la solicitud (Fürsorgej. Con el Mitsein se evitan las objeciones de solipsismo y se resuelve parcialmente el problema de la intersubjetivad. El término, que venia precedido de la expresión Miteinandersein acunada en el tratado y en la conferencia El concepto de tiempo, de 1924, se introduce en las lecciones del semestre de verano de 1925 para articular el encuentro inicial del otro con el que se comparte el mundo. Véase también la entrada Miteinandersein (das), miteinander sein. [GA20, pp. 326-335, 328 (existencial), 333-334 (co-existencia ≠ coestar), 336, 362 (habla), 439; SuZ, pp. 113-130, 117-125, 163, 298, 386.] [LHDF]

Submitted on 16.07.2021 11:45
This entry has been seen individually 913 times.

Bookmark to Fark  Bookmark to Reddit  Bookmark to Blinklist  Bookmark to Technorati  Bookmark to Newsvine  Bookmark to Mister Wong  Bookmark to del.icio.us  Bookmark to Digg  Bookmark to Google  Share with friends at Facebook  Twitter  Bookmark to Linkarena  Bookmark to Oneview  Bookmark to Stumbleupon Bookmark to StudiVZ



Powered by XOOPS © 2001-2012 The XOOPS Project