Login
Username:

Password:

Remember me



Lost Password?

Register now!
Main Menu
Search
Who is Online
6 user(s) are online (5 user(s) are browsing Léxico Filosofia)

Members: 0
Guests: 6

more...
Home Léxico Filosofia H história Léxico Filosofia
Browse by letter
All | A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | Other

história

Definition:
VIDE Historie, Geschichte

SZ é não histórico no sentido de apresentar a condição de Dasein como relativamente inalterável. O Dasein autêntico faz escolhas decididas com vistas no futuro, mas estas não precisam alterar o modo de vida geral de Dasein ou alguma coisa além da vida do agente individual. A filosofia tem uma história: começou com os gregos, desde então desenvolveu-se, tendo talvez decaído. Mas isto mais uma vez parece deixar incólume o Dasein cotidiano. Em meados da década de 30, a história adquire uma significação adicional: primeiramente, a vida cotidiana de Dasein possui uma história, que culmina no atual domínio da tecnologia. Esta história depende, em grande parte, da história da metafísica. Em segundo lugar, Heidegger mostra mais interesse no " primeiro começo", na fundação original da história e da filosofia " ocidentais" pelos gregos. O fim da história ocidental pode seguir-se de um "outro começo" da história, para o qual precisamos nos preparar por meio de um "confrontamento" (Auseinandersetzung) com o primeiro começo (GA6I, 29/N3, 182; GA65, 10 etc.). A história é, por fim, a história do próprio ser e não a história do homem: "A história [Geschichte] não é uma prerrogativa do homem; é a essência do próprio ser. A história atua sozinha no entre do intercâmbio [entgegnung] de deuses e homens, o entre que é o solo do conflito de mundo e terra; a história não é nada além do acontecimento apropriador [Ereignung] deste entre. Desta forma, a história escapa à historiografia" (GA65, 479). A fundação da história, de um mundo, não pode depender unicamente das escolhas humanas: escolhas só podem ser feitas dentro de um mundo já estabelecido. Assim, o homem é visto cada vez mais como o instrumento de forças impessoais: ser, arte e filosofia. [DH]


A história não é um mero objeto da historiografia nem somente o exercício da atividade humana. A ação humana só se torna histórica quando enviada por um destino. E somente o que já se destinou a uma representação objetivaste torna acessível, como objeto, o histórico da historiografia, isto é, de uma ciência. É daí que provém a confusão corrente entre o histórico e o historiográfico. [GA5eidegger, Ensaios e Conferências, pag. 27]

L’histoire n’est pas seulement l’objet de l’ « histoire », pas plus qu’elle n’est seulement l’accomplissement de l’activité humaine. Celle-ci ne devient historique que lorsqu’elle est en rapport avec une dispensation du destin (Cf. Vom Wesen der Wahrheit, 1930, 1re éd., 1943, pp. 16 et suiv.). Et c’est seulement lorsque le destin nous « envoie » dans le mode objectivant de représentation qu’il rend ce qui relève de l’histoire accessible comme objet à l’ « histoire », c’est-à-dire à une science, et qu’il rend possible, à partir de là, l’assimilation courante de l’historique à l’ « historique ». [GA5eidegger, Essais et conférences, pag. 33]

Submitted on 14.03.2012 14:34
This entry has been seen individually 629 times.

Bookmark to Fark  Bookmark to Reddit  Bookmark to Blinklist  Bookmark to Technorati  Bookmark to Newsvine  Bookmark to Mister Wong  Bookmark to del.icio.us  Bookmark to Digg  Bookmark to Google  Share with friends at Facebook  Twitter  Bookmark to Linkarena  Bookmark to Oneview  Bookmark to Stumbleupon Bookmark to StudiVZ



Powered by XOOPS © 2001-2012 The XOOPS Project